A DOENÇA DO BEIJO EM CRIANÇAS

A doença do beijo em crianças o que é e como se contagia

Como popularmente se conheça “doença do beijo”, o seu nome é “mononucleose”, um tipo de febre causada pelo vírus Epstein-Barr ou pelo citomegalovírus, que inflama os gânglios linfáticos e causa fadiga crónica.

Quais são os seus sintomas e como é que se contagia?

Para tratar a mononucleose o mais cedo possível, é muito importante que os pais estejam atentos a qualquer sintoma que o seu filho possa apresentar. O período de incubação (momento no qual não se manifestam os sintomas) pode durar entre uma a duas semanas, e a doença pode chegar a durar entre um e dois meses.

(Também lhe interessa: Doenças da criança)

A doença do beijo não afeta apenas as crianças, pois os adolescentes e os jovens adultos também se podem ver afetados pela mononucleose.

Quais são os sintomas da doença do beijo?

mononucleose pode apresentar sintomas como febre, cansaço generalizado, inflamação dos gânglios do pescoço, axilas ou virilhas, dor de cabeça, dor de garganta causado pela amigdalite, dificuldade em engolir, dores musculares e transtornos no fígado o qual, por sua vez, pode causar amarelecimento da pele, das membranas mucosas ou dos olhos.

Durante o período de incubação, o afetado não sofre nenhum sintoma. Por outro lado, quanto mais pequenas são as pessoas que se contagiam, mais leves são os sintomas. Por isso, as crianças costumam manifestar sintomas muito mais leves do que os adolescentes e costumam melhorar em poucos dias. De facto, em crianças pequenas e bebés, os sintomas não costumam passar de mucosidades, febres ou abatimento, pelo que, frequentemente, não se distinga de qualquer outro vírus.

(Também lhe interessa: Como baixar a febre em bebés e crianças)

Se observa que o seu filho apresenta algum destes sintomas, é conveniente ir ao médico para que este o observe e confirme de forma precisa a doença através de uma análise de sangue.

Será ele quem pode diagnosticar a doença e, segundo o seu critério, tratá-la de uma forma ou outra. A nível farmacêutico, não existe nada específico contra o vírus.

Ainda assim, é importante que a criança não pratique atividades desportivas durante a doença. A prioridade é que descanse e beba muita água para controlar a febre. Mais tarde, uma vez que tenha superado a doença, recomenda-se que as crianças façam desporto para que os sintomas regridam, dado que é possível que ainda tenha o baço afetado, o que poderia derivar em possíveis complicações, como a rotura do mesmo e hemorragias internas.

Como é que se contagia a mononucleose?

A doença do beijo se pode transmitir através da tosse, do espiro ou do beijo, ou seja, contagia-se através da saliva. As creches são um lugar onde se costumam contagiar as crianças. Do mesmo modo, os adolescentes costumam contagiar-se devido aos seus primeiros beijos.

Estima-se que 95% da população mundial tenha sofrido desta doença alguma vez na vida. Há muitas pessoas que mantêm este vírus ativo sem que lhes cause transtornos, que já terão surgido noutros momentos. A estes chama-se de portadores saudáveis, e podem transmitir o vírus a outras pessoas através da sua saliva sem apresentar nenhum sintoma da doença.

Os especialistas dizem que a mononucleose está ativa enquanto se tenha febre. Se passou um dia inteiro e não houve subidas de temperatura, considera-se que a criança superou a doença do beijo. Não obstante, em muitos casos a descida da febre pode durar mais tempo, pelo que pode necessitar de mais alguns dias para se recuperar e fazer a sua vida normal.

O seu filho já teve mononucleose? Como é que tratou a doença do beijo? Não deixe de nos contar a sua experiência!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *